Manchas Solares

Há incontáveis estrelas em nossa galáxia, e no Universo distante. Muitas delas são maiores e mais massivas que a nossa estrela particular, o Sol. Dada sua proximidade com a Terra, o nosso sol oferece muitos fenômenos de tirar o fôlego, os quais são facilmente vistos com equipamento básico de astronomia.
Vamos dar uma olhada mais de perto num desses fenômenos, conhecido como manchas solares. Acredita-se que elas ocorram em consequência de extrema atividade magnética. Isso inibe a convecção e resulta na difusão de calor nessas zonas. Embora pareçam escuras se comparadas com o resto do sol, essas áreas ainda são, aparentemente, mais brilhantes que as faíscas produzidas por um soldador elétrico.
A maior parte da superfície solar atinge temperaturas de até 5.500ºC. Acredita-se que essas áreas escuras passageiras sejam de APENAS 6.000ºC.
As manchas solares variam muito de tamanho, e algumas medem até 80.000 km de largura.
Theophrastus, mais conhecido como Paracelso, pupilo de Platão e Aristóteles, foi um dos primeiros a escrever sobre a existência das manchas solares.
Sua atividade é cíclica, e durante as últimas centenas de anos, temos observado períodos de extrema atividade e períodos de relativamente pouca observação.
Um pequeno telescópio é perfeito para observar o sol, e permitirá que você veja as minúsculas manchas pretas em sua superfície. É preciso usar o tipo certo de filtro solar para o telescópio; caso contrário, podem ocorrer graves lesões óticas ou danos permanentes à vista.
Lembre-se: NUNCA olhe para o sol sem o equipamento adequado.

Sou David Rives…
Os Céus Realmente Proclamam a Glória de Deus.
Tradução: Mariza Regina de Souza

EMAIL UPDATES

Sign up for David Rives Ministries' Creation Weekly. Breaking news. Science updates. Biblical discoveries. Special offers.

STRENGTHEN YOUR FAITHwith unshakeable evidence

Sign up for David Rives Ministries' inspirational and educational Creation Weekly. Breaking news. Science updates. Special offers. Biblical discoveries.