Sobrevivência do Mais Apto

Olhamos ao nosso redor e vemos uma imensa diversidade de vida. Alguns dizem que aquilo que vemos é parte de um processo evolutivo onde formas de vida microscópicas evoluíram para novas e melhores especiações — a sobrevivência do mais apto ao longo de milhões e milhões de anos.
Mas por que, então, existe essa diversidade? Já que as características de um animal evoluem, por que o mais antigo não entra em extinção?
Um exame cuidadoso do reino animal revela uma gama realmente ampla de espécies. Animais terrestres ou alados — carnívoros ou herbívoros — insetos e mamíferos — mas qual constitui a melhor mudança evolutiva?
Adaptação do melhor no reino animal deve, no fim das contas, equiparar dominação e substituição. No entanto, muitos animais vivem em equilíbrio, às vezes formando relações simbióticas, e cada um com uma função específica na natureza.
No relato histórico da criação, aprendemos que, no início, Deus criou os animais e dividiu-os por espécies. Depois Ele criou o homem e lhe deu domínio sobre todos os animais.
Sou David Rives…
Os Céus Realmente Proclamam a Glória de Deus.
Tradução: Mariza Regina de Souza